Rafael!


 

O que já é trivial regurgito sem mesmo precisar pensar, um clichê da sociedade pós-moderna, assim sendo, determino que “A vida não é tão simples quanto parece”, por isso, venho diante desta, dar minha mão a palmatória, o que de inicio era apenas um teste, uma vivência de um novo Rafa, se transformou num ato incondicional de tentativas usurpadas de mostrar outra realidade de fatos incongruentes e heterogêneos sobre minha pessoa.

Ontem, como escrevi no post anterior, resolvi mudar radicalmente o meu “status quo”, determinei como principio básico, e assim usei como tal, uma personalidade que me fora transmitida, usei de uma capa e contracapa para mascarar verdades de um Rafa sentimental ao mesmo tempo em que expressei e demonstrei, de fato, uma outra figura, um outro ser, de redondos interesses, de fino trato a caráter, enfim, uma arte e domínio lúdico do ser universal do século XXI

Sei que não há como convencê-los de que isto não fora um truque, de que mudei minha personalidade para brincar com as pessoas, mas não faz mal. Agora sou eu, o meu eu, o verdadeiro. Meu nome é Rafael, prazer! Não creio que viverei muito tempo e quero hoje falar sobre mim, o que sou realmente. Nossa integridade vale tão pouco, mas é tudo o que temos. É o mais importante em nós. Mantendo nossa integridade, somos livres.

Sempre soube o que queria da vida, sempre desejei o melhor para mim e para todos que me cercam, sempre os tratei como muito amor e devoção, sempre me entreguei de corpo e alma a todos que junto a mim participam de seus problemas, faço isso com todos que me permitem chamar de amigos. Vivo num mundo de paixão, vivo intensamente todos os minutos e segundos do meu tempo envolto em sentimentos, acredito que essa é a beleza da vida, sentir a plenitude da emoção, seja ela triste, dolorosa ou feliz e alegre.

O significado dessas palavras começou a mudar ultimamente, muitas informações e sugestões foram me ditas, muitos querem possuir meu ser, meus desejos, meu gozo pelo sentimento. Palavras como “carinho” e “afeição” inspiram medo, nesse novo mundo. Enquanto ganham força “egoísmo” e “narcisismo”. É comum perceber como “amor” virou “interesse”. Ainda não entendo por que odeiam tanto esses sentimentos, poucos ainda lutam por essa glória. Nunca chorei tanto na minha vida, nesses dias.

Parece estranho terminar a vida em um lugar tão pouco sentimental. Infelizmente eu morrerei aqui. Cada pedacinho do meu ser perecerá. Cada pedacinho, menos um. O da integridade. É pequeno e frágil, e é a única coisa que vale a pena ter. Nós jamais devemos perdê-lo, nem deixar que o tomem de nós. Espero que, quem quer que você seja que agora ler minhas palavras, jamais perca a sua. Espero que a minha vida mude e fique melhor. Mas o que mais quero é que entenda essa minha mensagem. Quando falo que mesmo sem conhecer você. E mesmo que talvez jamais conheça você, ria com você, chore com você, abrace você ou sinta a sua vontade de viver. Eu amo você. De todo o coração. Eu amo você. Por que aprendi que todos devem sem amados, devem ser conquistados.

Se eu te pedir um tempo a mais, só pra puder te querer em paz, te acalentar, te escutar, te deixar chorar em meus ombros, será que vais ter tempo pra mim nesse novo mundo? Não importa se agora ou amanhã, a paciência é uma arte cortesã, que igual ao tempo, não tem fim. Espero desesperadamente que nunca perca sua essência ao mesmo tempo em que valorize seus sentimentos. Preserve todos, por mais simples que seja sua emoção e sentimentos para com eles, seus amigos. Eles são o sucesso de sua vida.

 

RPH A.

Anúncios