Invasores do tempo


 

Eu vivo nesse conflito constante com o tempo, luto para entender-lo e insisto ver o quanto isso machuca, porque o tempo nada mais é do que essa “força que nos envelhece, que nos entristece, que nos mata, que nos leva embora, que nos distância”, porém, existem aqueles que nos permitem experimentar a ausência do tempo, aqueles que percebem o quanto somos importantes para alguém e nos fazem perceber que esse tempo pode ser dissipado quando acreditamos na beleza de uma amizade. “Bonita é uma amizade quando nasce a partir da precariedade, quando você chega desprevenido, o outro viu o que você tem de pior, e mesmo assim, ele se “apaixonou” por você”. Amor concreto, cotidiano, diário. Amor incondicional por uma amizade. Esse é o fato interessante de ser amigo, ser um “invasor do tempo”, quando temos a oportunidade de criar essa brecha no tempo, quando conseguimos aliviar a nossa existência, a nossa vida a partir do amor que a gente ama um amigo ou quando ele nos convida para ser eternos durante essa amizade, quer fazer esquecer o tempo? Ame. Esse é o verdadeiro significado da amizade, que concebe qualquer forma de inutilidade por ambas as partes, o importante é o que nós significamos para o outro, mesmo tendo todas as misérias que nós temos, mesmo sendo como nós somos.

Mas o tempo insiste em mostrar o contrário desse motivo, quando a gente na pressa de encontrar algo ou alguém, uma resposta qualquer a fatos que não conhecemos, não conseguimos ver. O tempo, em certos momentos, ofusca a amizade. Quantas vezes na vida menosprezamos as pessoas porque consideramos o agora, o especifico daquele momento, é tão doído quando nos percebem e somos visto apenas no presente, quando as pessoas olham para gente e só enxergam aquilo que temos naquela ocasião, perdemos o contato por erros estúpidos, por julgamentos atropelados, por falta de justificativas e desprezamos todo um passado (história, momentos) e principalmente um futuro juntos.

O interessante dos amigos verdadeiros é o fato deles nunca se esgotarem, pois uma amizade sobrevive do futuro, eles conseguem ver o que ninguém jamais viu, esse relacionamento de troca, de permuta, pois uma amizade não se pode se prender no presente, ela vai muito mais além, ela invade as barreiras do tempo. A beleza de uma amizade esta em ver no outro e enxergar o que o outro ainda não é, o contrário, quando nos permitimos não somente ver o que olhos podem revelar, mas, sobretudo aquilo que ainda este oculto, escondido na beleza daquela amizade

“É fascinante olhar para a capacidade que nós temos de investigar a miséria do outro e encontrar a pedra preciosa que está escondida. É quando no sepulcro do nosso coração, alguém descobre um fio de vida, e ao puxar esse fio, vai fazendo com que a gente se torne melhor”. Aqueles que invadem a consistência do tempo e cria laços de amizade, quebra a barreira da lógica do tempo, consegue ser verdadeiramente amigo. Por isso é bom termos amigos, porque na verdade, as pessoas amigas antecipam no tempo, aquilo que acreditamos ser eterno. Quando elas são capazes de olhar para nós e descobrir o que temos de bonito. Mesmo que isso, às vezes costuma ficar escondido por trás daquilo que é precário. Seja assim também, um “invasor do tempo”, transite pelas entranhas de uma amizade, ame e deixe ser amado pelos seus amigos. Transcenda, ultrapasse os limites do tempo. Seja amigo.

 

RPH A.

Anúncios