Amor e sexo, de qual desses pratos você gosta mais?


 

Há algum tempinho atrás, escrevi um texto comemtorativo de 100 post e nele falei sobre sexo. O nome do post era “Na cama, pinto o 7, desenho o 8 e decalco o 9”, com isso ouvi muitos comentários pertinentes sobre o mesmo e muitas loucuras também. Mas, mesmo não sendo um experiente total no assunto, resolvi encarar o desafio dessa escrita e o resultado disso foi esplendoroso.

Agora volto a abordar essa temática e, consequentemente, seguirei o mesmo caminho. Assim, hoje foi postado um comentário muito intrigante sobre esse texto e estou fazendo questão de colocar a total disposição para todos que aqui passam:

“Sexo pode ser só sexo, amor pode ser só amor, amor e sexo podem ser amor, sexo e amor pode ser só sexo. Sei lá! É complicado pensar neles dissociados, mas existe sexo bom sem amor. Sexo por sexo vale, sim (minha opinião). O que não vale é a banalização do sexo. Tudo com amor fica muito melhor (inclusive sexo). Quando se banaliza o sexo, se banaliza o corpo. Na minha concepção, meu corpo é meu templo, e neste templo, o espaço só pode ser explorado pelo eleito. Há quem diga que sexo com amor é bom e sem amor é ótimo. Na minha singela opinião, sexo bom é bom, com amor ou sem amor, quando é bom é bom. O Rapha solta o questinamento: “amor e sexo, de qual desses pratos você gosta mais?”. Eu respondo por mim, gosto dos dois, juntos ou separados, masssssssss se for junto acho melhor!”

Logo, volto a questionar o que pode ser sexo? Onde se encaixa o amor para você? Será que os dois juntos em uma forma única garantem mais prazer? Por favor, participe desse debate, sua opinião é muito importante. No final quero poder fazer uma síntese dessa teoria.

 

Rapha.

Anúncios