Um dia de cada vez


Não existe essa de futuro e passado em coexistência, também não existe um pensamento sobre a sinergia que envolve esses fatores, por mais que elas possam e estão sempre relacionadas, não funcionam ao mesmo tempo. Paralelo a tudo isso se encontra o presente, fato de ocorrer no agora, no exato momento de acontecer e existir.

Viver um dia de cada vez, esse é o lema.  É sentir saudade e não ter medo de chorar. É viver o presente sem precisar pensar. Para os estudiosos se refere ao “Que está no tempo atual. Que permanece. Pessoa que comparece a certo lugar, em certo momento. Que está no lugar de que se fala. Dádiva”.

Tento me perguntar se existe hora certa pra dizer tantas coisas, e sempre vivo a me protelar. Sim, eu penso, existe esse tempo, e é nele que devemos considerar o momento ideal para se dizer aquilo que não se pode mais guardar.

Uma história pode estar chegando ao fim, mas, mesmo sem razão, ela pode continuar. É levar adiante um pensamento que ocorreu no momento, no dia exato da compreensão do seu pensamento presente.

O tempo e suas facetas, ou seja, uma medida de duração dos fenômenos. Uma duração limitada, onde sempre se emprega o dia de forma congruente e, consequentemente, resultando em entender bem o que é tempo. Um dia, um momento, é uma época, relativamente a certas circunstâncias, ao estado das coisas, aos costumes, às opiniões.

Ter tempo, na filosofia de viver um dia de cada vez, é não estar apressado. Ganhar tempo, nesse mesmo pensamento, é contemporizar. Não podemos se dá ao luxo de perder o tempo nesse mundo, ou seja, se deter e/ou aplicar-se a coisas inúteis e sem resultado.

Enfim, que cada um viva o presente como se passado e futuro não existissem. Saborear cada segundo que passa é o segredo da eterna felicidade. Vivam e sejam felizes.

Rapha.

Anúncios