Livro que ando lendo N° 05


polaroidlivromenina

Dizem que viver amores complexos é o desastre da honra humana, mas, na verdade, penso de forma contrária a tudo isso.  Acredito nesse amor, e, por mais que seja irônico, já vivi ou vivo algo do tipo. O que podemos caracterizar como “amor colérico”, onde desfrutamos de angústias e pensamentos anódinos de uma vida cheia de encantos, proporcionada por idas e vindas de amores deturpados, encontros e desencontros sagazes. Assim é claro e passível de ser percebida tamanha distinção entre romances.

É neste impasse que me transfiguro na narrativa deste livro e, ao mesmo tempo, me percebo nesse emaranhado de intenções subjugadas pelo o ato de amar incondicionalmente.

Um contexto sugerindo as transformações sociais e políticas ocorridas na Europa e na América Latina na segunda metade do séc. XX como belo pano de fundo. Onde acompanhamos o jovem peruano Ricardo, cujo único sonho é ir viver para Paris, completamente apaixonado por uma estonteante e misteriosa jovem. Porém descobre depois que afinal ela é uma mulher fria e manipuladora, construindo muitas personalidades (mudando de nome e de marido a seu bel-prazer, conforme as conveniências). Assim, vão-se reencontrando uma vez e outra ao longo dos quarenta anos seguintes, em diferentes momentos e em várias cidades do mundo.

E por fim pergunto: como um amor pode durar após tantos babados, firulas, enfeites, mentiras e retomadas de abandonos?

Fica aí a dica.

Rapha Fernandes

Anúncios