Quase fundamental [Leandro Thot]


Job novo. Esse é dos grandes. Quem sabe até uma concorrência. Boa chance de mostrar serviço. Momento para chamar a responsabilidade. Hora perfeita de brilhar. Ser finalmente reconhecido.
O cliente garante que essa é a grande oportunidade da marca. O atendimento dessa vez prevê verba, uma bem parruda. O chefe imagina até um videocase.Sorrisos. Tapinhas nas costas. Papos incentivadores no café.

“Como tá ficando isso?”. “Vamos fazer um status daquilo?”

Planeja, negão. Pensa isso. Faz um slide daquilo. Combina o jogo. Arma o circo todo.
Cabeça dolorida. Poucas horas de sono. Mas um ego bem inflado por se sentir fundamental.

Parece que esse vai dar certo!

Eis que o universo não te ama. A verba míngua e não compra nem mais o Corolla 2008 do gerente de marketing. Os feedbacks roem todo aquele potencial case que ganharia muitos prêmios. O vai-e-vem de execuções faz aquela “grande estratégia” virar apenas propaganda.

Bola pra frente. Com o próximo vai dar certo!

Anúncios