Bem aventurados aqueles que navegam no mundo sociodigital


A invasão de mercadorias, serviços, tecnologias, pessoas, e afins, de várias partes do mundo em diversos lugares e vice-versa, leva-nos a presenciar a Era Globalizada, onde procuramos qualidade, satisfação, desejos, ofertas, entre outros.

Dentro dessa perspectiva, em uma recente pesquisa realizada em alguns países conduzida pela consultoria Accenture para checar o índice de satisfação de consumidores, dentre eles o brasileiro, permitiu concluir que somos os mais insatisfeitos com o nível de serviços prestados por empresas de diversos setores econômicos, com um índice de reprovação de 75%, informou o site “Infomoney”.

O problema central, apontado pela pesquisa, é o mau atendimento, que compromete a fidelização do cliente a determinadas empresas. De cada dez consumidores no Brasil, um afirma que a qualidade dos serviços nacionais é muito ruim. Além disso, 67% confirmaram que suas expectativas quase nunca são alcançadas.

Através dessa possibilidade desconcertante juntamente com a forte presença das redes sociais, traz implicações diversas, tais como: o excesso de exposição de qualquer marca, empresa ou produto. Com a crescente demanda dessas redes, os consumidores garantiram uma forte ferramenta de disseminação de conteúdo. Podendo ser fortes aliados ou grandes detonadores. O volume atual de dispositivos conectados à rede é estimado em 1 trilhão, principalmente por conta dos videogames e dos celulares, garantidos pela mobilidade do sistema, ou seja, a internet não é mais formada apenas por computadores ou notebooks e sim por todo tipo de gadget fruto do processo de modernização da tecnologia. Celulares, tablets, Iphone, entre outros recursos de forte apelo e conectividade com as redes sociais.

Assim, o fato de as pessoas estarem cada vez mais conectadas faz com que aumentem o número de iniciativas que utilizam as redes sociais virtuais para mobilizar, movimentar, construir e desencadear estruturas de grupos em torno de causas ou em prol de mudanças no mundo real. Causas relativas ao direito do consumidor têm se fortalecido cada vez mais dentro de diversas redes sociais. Precisamos usufruir de todo o potencial que é oferecido por elas, mas sabendo preservar nossa intimidade, respeito e credibilidade. Hoje o consumidor tem, dentro das redes sociais, um canal aberto para protestar todos os problemas caracterizados no universo do consumo.

Muitas mudanças estão por vir, faremos parte dos 1,7 bilhão de pessoas do mundo que irão acessar os serviços através de dispositivos móveis, como smartphones ou tablets. Segundo uma pesquisa realizada pela consultoria Juniper Research. Ou seja, novos consumidores prontos para entrar de vez no mundo sociodigital e assim elogiar ou detonar o que for necessário.

 

*Raphael Pereira

Publicitário, Designer e especialista em Mkt Estratégico. Blogueiro e Twitteiro nas horas vagas. Atualmente: Editor Gráfico do Jornal Gazeta.AL e Colunista e editor da Revista Due. E colunista do site Invasão.Net.

Anúncios