O princípio do empreendedorismo: a construção de uma filosofia


Empreender, essa é a palavra da vez. Muito foi comentada durante o final de semana transcorrido, passado. Ser empreendedor é pensar de dentro para fora. É, não somente, ter seu próprio negócio. É evoluir o pensamento do senso comum, agir e transformar o modus vivend que você leva em seu dia a dia. O CAEJE (Congresso alagoano de empreendedorismo: jovens e empreendedores) foi o marco para fomentar esse discurso tão falado, mas pouco debatido e difundido em sua essência concreta.

A relevância desse termo é de extrema importância para a elaboração de uma sociedade mais antenada na construção de um perfil ético social focado no consumerismo consciente. Nas apropriações de idéias e oportunidades. O empreendedor é, justamente, a capacidade nata de aproveitar dessas influências. Dessas formas de vivenciar a vida e perceber que tudo está concatenado numa linha tênue e fina que não difere e nem distingue raças, línguas, cores, opções sexuais. Ser empreendedor é fugir da regra do “achismo”, é ir além das fronteiras do mercado estagnado.

Todos os palestrantes passados nos dois dias de evento mostram de um jeito inovador tantas formas para tomar atitudes congruentes para se lançar no mar tormento, mas ainda pouco explorado do empreendedorismo. Conhecimentos, atitudes, estratégias, sistemas de vida isso é ser empreendedor. É fazer valer formas diferenciadas de ver o mundo, é vivenciar não somente sonhos, mas concretizá-los. Fugir dos padrões sociais aceitáveis e estabelecer novos rumos e filosofias de vida para você.

Não deseje nunca ser o igual, queira ser o diferente. Queira deixar seu nome gravado na lembrança do mercado sócio-empreendedor busque sempre o novo e viaje nesse céu cada vez mais de todos.

Anúncios