Aos meus!


polaroidrapha

Eu

 

Hoje dedico esse espaço a todos aqueles que diretamente e indiretamente se preocuparam comigo durante essa semana. Foi realmente muito difícil para mim suportar a barra, não nego que chorei muito, em casa, no trabalho e em muitos outros lugares. Tentei ser sempre alegre e mostrar o melhor lado de minha pessoa, mas quase nunca conseguimos carregar o fardo nas costas, são muitos anos de tentativas, acertos e erros, porém posso considerar tudo como um grande aprendizado. Hoje me sinto muito mais leve e, como sempre, voltei a ser o Rapha tradicional, que fora retratado em várias outras ocasiões.

Aos meus, o meu muito obrigado, em especial a Val que se dedicou de forma ferrenha explicar através de sua ótica aquilo que senti durante esse tempo de tristeza, quero também agradecer a Lua, que em seu espaço em seu blog (www.bloguedalua.blogspot.com), demonstrou seu amor por mim. A Betinha, que me escutou sem me julgar e oprimir, as minhas chefes pela compreensão infinita e ao meu super amigo que escutou meu choro e soube me acalmar em todos os sentidos, por mais que ele não acredite nisso. Adoro todos vocês, amo de paixão cada um!

 

Segue o texto que Lua me escreveu:

“Falar de Raphael…Raphael Pereira, o meu Rapha…

Perspicácia, sagacidade, inteligência, bom humor, ousadia…e uma tamanha e imensurável fragilidade! Meu amigo Rapha, é uma pessoa solidária, sentimental, que ama e respeita o próximo, independente de sua condição econômica, social, racial, comportamental. Raphael é uma das pessoas mais nobres que já conheci, além de ser um profissional extremamente competente. O Rapha surgiu na minha vida devagar, fui conhecendo, me aproximando, querendo aprender com ele…e como isso me deixava feliz, estar ao lado dele. Outro dia, o Rapha estava triste, percebi no seu olhar uma dor indescritível, e como amiga apaixonada que sou eu não falei nada, não falei com a boca, mas disse a ele, no olhar, tudo o que ele precisava ouvir: que a nossa amizade é real, indestrutível, firme, transparente. Graças a Deus, e aos outros amigos que amam o Rapha, no dia seguinte, lá estava o meu Rapha de novo! Doído, malhado (a Roberta quase matou o bichinho na academia!), mas de volta.

Raphael, não sei por quais caminhos a vida irá nos conduzir, mas sei que, esse tempo que passamos juntos, foi precioso para mim, com você, pude me melhorar como pessoa, aprendendo a cuidar mais de mim, e a ser mais tolerante, e compreensiva com o próximo. Agradeço-te, do fundo do meu coração, te amo beijos!”

 

Rapha Fernandes

Anúncios